O presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), afirmou que não precisará consultar os demais integrantes da Mesa Diretora da Casa para decidir qual encaminhamento dará aos requerimentos de convocação da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, apresentados ontem pelo líder do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM). Em um dos documentos, Virgílio requer a presença da ministra no plenário do Senado para explicar os motivos da realização de um levantamento sobre os gastos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso com cartões corporativos; em outros dois, pede que Dilma compareça à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e à Comissão de Fiscalização e Controle.

"Neste caso, por ser um caso específico, o presidente (do Senado) representa o Poder Legislativo e não precisará levar os requerimentos à Mesa", disse Garibaldi, referindo-se ao requerimento de comparecimento da ministra ao plenário.

O presidente do Senado informou que, depois de protocolados os requerimentos, dará a eles o encaminhamento previsto na Constituição e no Regimento do Senado. "Ninguém pensa que eu vá dar uma resposta que não seja validada na lei", afirmou Garibaldi. A primeira coisa a fazer, assim que os requerimentos forem protocolados, disse, será ouvir a Consultoria Jurídica do Senado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.