SÃO PAULO - As quatro delegacias de Crimes contra o Patrimônio de São Paulo, ligadas ao Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic), investigam um grupo de criminosos acusado de assaltar mansões e condomínios de luxo na capital paulista, que se apresenta como funcionários dos Correios. Pelo menos dez casos já foram registrados.

As residências escolhidas pelos assaltantes ficam nos bairros dos Jardins, Morumbi, Cambuci, Alto da Boa Vista, Chácara Klabin e Ibirapuera (na zona sul), Higienópolis (região central) e Belenzinho (zona leste).

Policiais ouvidos acreditam que mais de uma quadrilha atue dessa maneira em São Paulo. Eles explicam que, na hora de atacar as vítimas - tanto de dia como à noite -, um dos integrantes do bando toca a campainha com uma roupa idêntica à dos carteiros, nas cores amarela e azul. Geralmente simula a entrega de um Sedex e na primeira oportunidade domina a dona da casa ou algum funcionário.

Investigadores observam que, desde janeiro, esse tipo de assalto tem sido muito freqüente. As quadrilhas chegam a confeccionar roupas como as usadas pelos carteiros e contam com a colaboração de costureiras conhecidas. Muitas vezes, os assaltantes ainda colam adesivos com o nome dos Correios em carros de cor branca, modelo Gol.

De janeiro a julho, alguns suspeitos já foram identificados. Procurada, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) não informou se alguém foi preso. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia mais sobre: assaltos - gangue dos carteiros

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.