Fundações de 7 Estados se unem para estudar malária

Em iniciativa inédita, fundações de amparo à pesquisa de sete Estados - São Paulo, Minas, Amazonas, Pará, Maranhão, Mato Grosso e Rio - uniram-se para criar uma rede de estudos sobre a malária. A proposta baseia-se na implementação de um comitê científico, com dois pesquisadores de cada fundação, para o desenvolvimento de pesquisas integradas sobre a doença, voltadas para a busca de novas drogas, mapeamento genético dos vetores e aprimoramento de serviços de atendimento à população.

Agência Estado |

A rede foi sugerida pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (Fapeam) e formalizada há cerca de um mês durante reunião entre as fundações, o Ministério da Saúde e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em Brasília.

Uma das linhas de estudo será o aprimoramento de técnicas para diagnosticar indivíduos assintomáticos - portadores da doença que não manifestam sintomas. Esse diagnóstico é importante, pois os infectados em regiões de incidência tornam-se fonte de infecção para os mosquitos e oferecem alto risco aos bancos de sangue. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG