BRASÍLIA - Os funcionários da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), em greve desde o dia 1º de julho, podem suspender a greve no decorrer desta sexta-feira (11). A empresa encaminhou a proposta feita nesta sexta-feira pelo presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Rider Nogueira de Brito, para os 33 sindicatos espalhados pelo país.

Segundo Manoel Feitosa, secretário internacional da Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (FENTECT), até às 17h30 dessa sexta, cinco assembléias haviam rejeitado a proposta. São necessários mais 13 votos contra para que a greve continue ou mais 18 votos a favor da proposta para que os funcionários voltem ao trabalho.

Os Correios estão aguardando a posição da federação, já que a empresa aceitou a proposta. O ministro propôs que a ECT suspenda a aplicação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) de 2008, "exclusivamente em relação aos carteiros que prestam serviços externos, prevalecendo todas as condições anteriores".

Com isso, os carteiros deixariam de receber o valor linear de 260 reais, que foi estabelecido pelo novo plano, e voltariam a receber, em julho e agosto de 2008, os 30% de abono, como acontecia antes.

Como contrapartida dos trabalhadores, o ministro propôs a suspensão da greve a partir desta sexta-feira. Nas cláusulas seguintes, a proposta trata dos compromissos que as duas partes devem assumir para voltar a discutir o plano de cargos, com a intermediação do presidente do TST.

Leia mais sobre greve dos Correios

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.