Funcionários da Unicamp anunciam estado de greve

Os funcionários da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) anunciaram hoje estado de greve, definido em assembleia realizada no início da tarde. Eles farão paralisação dos serviços na segunda-feira e realizarão durante a semana novas assembleias para avaliar o avanço das negociações entre o Fórum das Seis (que representa trabalhadores e estudantes da Unicamp, da Universidade Estadual de São Paulo e da Universidade Estadual Paulista) e o Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp).

Agência Estado |

Os trabalhadores apresentaram proposta de reajuste de 17% (10% referentes às perdas salariais e 7% de aumento real) e mais R$ 200 fixos. O Cruesp concedeu reajuste salarial de 6,05% - a ser aplicado a partir dos salários de maio - para docentes e servidores técnico-administrativos das universidades estaduais paulistas. O reajuste corresponde ao índice de inflação medido pelo IPC-Fipe entre maio de 2008 e abril de 2009. O Cruesp informou que manteve seu compromisso de preservar o poder aquisitivo dos salários, diante de um cenário de queda de arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) por causa dos efeitos da crise mundial.

Na segunda-feira os trabalhadores de Campinas seguirão em caravana para São Paulo, onde realizarão ato unificado em frente à reitoria da USP. A reunião entre os representantes dos funcionários das universidades paulistas e o Cruesp está marcada para as 14 horas. O objetivo da paralisação é pressionar os reitores. O movimento ocorrerá também na USP e Unesp.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG