Funasa terá apoio das Forças Armadas em operação na Amazônia

Brasília - No mês em que é comemorado o Dia do Índio (19), a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) firmou parcerias com as Forças Armadas e com governos municipais e estaduais para desenvolver uma ¿operação de guerra¿, iniciada nesta semana, a fim de combater as doenças mais graves que atingem essa população, principalmente na região amazônica.

Agência Brasil |

Segundo o presidente do órgão, Francisco Danilo Bastos Forte, durante a operação será lançada a campanha de vacinação, cuja meta é atingir 482 mil índios em 25 estados, com ênfase em localidades remotas como as do Vale do Javari, no Amazonas. Nessa área de 8,5 milhões de hectares vivem cerca de 3,6 mil índios e, segundo Forte, a Fundação Nacional do Índio (Funai) catalogou pelos menos 22 pequenas aldeias que não têm qualquer contato com não-índios.

Há 40 anos se tem notícia de vários tipos de hepatite no local. A hepatite C, por exemplo, chega a atingir 14% da população, informou. Além da imunização contra hepatite, tuberculose, paralisia infantil, febre amarela e diversas outras doenças, também haverá atendimento emergencial e preventivo.

A Marinha ofereceu à Funasa o navio-hospital Oswaldo Cruz, que ficará na cidade amazonense de São Luis, perto de Tabatinga, e dois helicópteros estarão à disposição das equipes multidisciplinares de saúde. A operação deverá mobilizar 1,5 mil profissionais e conta com o apoio de militares, servidores dos ministérios da Saúde e da Defesa, da Funai, da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), de prefeituras e do estado do Amazonas.

No Vale do Javari serão gastos R$ 4 milhões, com combustível, alimentação, insumos, remédios, vacinas e equipamento médico. Estamos inaugurando quase cem obras em comunidades indígenas no país. São pequenos sistemas de abastecimento de água e esgoto, além de melhorias domiciliares", informou Forte.

Leia mais sobre: índio

    Leia tudo sobre: índio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG