Funasa pede reintegração de posse de sede no PR

A ocupação da sede da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) em Londrina (400 quilômetros de Curitiba), por um grupo de 21 índios da reserva Barão de Antonina, em São Jerônimo da Serra, pode terminar amanhã. A Coordenadoria Regional do órgão entrou, na noite de ontem, com um pedido de reintegração de posse junto a Procuradoria Geral da República.

Agência Estado |

"Esperamos tudo seja normalizado rapidamente", disse o coordenador regional Rômulo Henrique da Cruz.

Os índios alegam que não há remédios na farmácia da reserva e o único veículo à disposição não tem condições de uso. Até o final da tarde, a sede não havia sido desocupada. Segundo o coordenador, o abastecimento de remédios na reserva, que beneficia cerca de quatro mil indígenas, nunca apresentou problemas. "Não é comum isso acontecer. Faltou remédio apenas um dia e não temos problema de abastecimento".

Em relação ao carro, há a possibilidade de trocá-lo devido ao alto custo dos últimos consertos. "Fizemos vários orçamentos e somente na segunda-feira teremos condições de mandar arrumá-lo, ou quem sabe substituí-lo, pois os valores para consertar são muito altos - cerca de R$ 20 mil. Ele está muito deteriorado e caso seja necessário, tentaremos uma nova viatura. O que não podemos fazer, é aceitar a reivindicação deles e deixar outros locais sem veículo", afirmou.

Caso não haja acordo, o cacique Alexandre Almeida afirmou à imprensa local, que irá reforçar o protesto com a chegada de mais cem índios da região que, segundo ele, estão sem atendimento, incluindo mulheres grávidas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG