Fuja do sal sem abrir mão do sabor

Fuja do sal sem abrir mão do sabor Por Marcela Rodrigues Silva São Paulo, 18 (AE) - Não é só quem tem hipertensão que deve se preocupar com o excesso de sal na alimentação. A população brasileira consome, segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão, três vezes mais sal do que a quantidade indicada (6 gramas por dia).

Agência Estado |

Para fugir do condimento, uma boa opção é apostar em temperos naturais, que além de mais saudáveis conferem um toque exótico à comida.

"Algumas ervas são ótimas alternativas para treinar um paladar acostumado com itens muito salgados ou temperados com condimentos industrializados. Com as ervas frescas é possível diminuir a quantidade de sal", garante a nutricionista Juliana Gropp, do Instituto do Coração (Incor).

Do ponto de vista gastronômico, os temperos naturais têm mais do que um bom sabor: exalam aromas deliciosos e ajudam a decorar os pratos. "As ervas podem formar casamentos incríveis com certos ingredientes. Basta ter criatividade", diz o coordenador do curso de tecnologia da gastronomia da Universidade Metodista de São Paulo, Marcelo Bergamo.

Algumas ervas combinam melhor com massas, outras vão bem em molhos. "Também se pode fazer combinações entre elas. Monte um buquê de alecrim, tomilho, manjericão e orégano, todos frescos, e jogue no molho de tomate. O sabor e o aroma farão uma combinação incrível", ensina Bérgamo. A quantidade de cada folha depende só do paladar.

SAL LIGHT
Outra opção menos pesada é o sal light, uma versão com menos cloreto de sódio - substituído por cloreto de potássio, na proporção aproximada de meio a meio. Mais suave, salga menos, o que pode levar a excessos. "O ideal é seguir as medidas liberadas para o consumo do sal comum ", diz o nutrólogo do Hospital do Coração de São Paulo, Daniel Magnoni.

Pessoas com insuficiência renal devem evitar o sal light por causa do potássio, aconselha Juliana. Para não errar, o melhor é escolher temperos naturais, livres de contraindicações. Confira as propriedades de alguns deles:

- Manjericão: Confere um sabor inconfundível a vários tipos de molhos, além de combinar muito bem com assados, saladas e massas. Uma boa dica é picar bem as folhas e amassá-las para que a erva solte ainda mais sabor. Por ser muito delicado, o ideal é que seja acrescentado ao final do preparo. Assim, ele não sofrerá alterações de sabor.

- Louro: Faz uma dupla de sucesso com o feijão, sendo indicado também no preparo de pratos com legumes, marinados e caldos. De sabor acentuado, deve ser usado com moderação - uma folha é o suficiente para liberar o sabor da erva. Atenção: retire a folha antes de servir o prato, pois não é agradável mastigá-la.

- Alecrim: Tem aroma marcante e sabor suave. Para realçar suas características, os ramos devem ser usados inteiros - ou picados no final do cozimento. Vai bem com aves, carne vermelha e legumes. Também pode ser usado na massa dos pães, para um sabor mais exótico.

- Orégano: Uma pequena quantidade desta erva, bem popular no Brasil, é o bastante para garantir o sabor inconfundível que ela tem. Comumente usada em massas e pratos da culinária italiana, sobretudo em pizzas, também combina com molhos, carnes, vegetais e receitas à base de queijo.

- Tomilho: Com folhas pequeninas e aroma suave, não é comum nas mesas brasileiras. Tem sabor marcante, porém delicado. Apesar de ser mais conhecido na combinação com carnes , faz boa parceria com peixes e batatas. Experimente também o tomilho-limão, que se diferencia do tradicional pelo aroma cítrico.

- Hortelã: Condimento usado tipicamente nas iguarias árabes, faz uma parceria interessante com receitas que levam carne - especialmente a de cordeiro. O ponto forte da erva é o seu aroma refrescante, sendo por isso também indicada para compor saladas e molhos gelados.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG