Fruet formaliza saída do PSDB em carta com críticas à sigla

Ex-deputado anunciou candidatura à Prefeitura de Curitiba, apesar de ainda não ter definido a qual partido pretende se filiar

Valor Online |

O ex-deputado federal Gustavo Fruet anunciou hoje sua desfiliação do PSDB e lançou sua pré-candidatura à Prefeitura de Curitiba, apesar de ainda não ter definido em qual partido ingressará. Fruet estuda convites do PDT, PV, PSD e PSC. Com críticas ao "silêncio" do PSDB sobre sua saída, Fruet entregou sua carta de desfiliação ao diretório estadual tucano, comandado pelo governador do Paraná, Beto Richa.

AE
Gustavo Fruet começou a preparar sua campanha à prefeitura desde a derrota na eleição de 2010
"A decisão, tomada com tristeza após meses de conversações internas infrutíferas e muita reflexão, foi movida por sentimento de profunda incompreensão com o silêncio e a falta de clareza da direção do partido na capital, especialmente quanto à participação na sucessão municipal de Curitiba nas eleições de 2012", registrou na carta.

O ex-tucano começou a trabalhar pela pré-candidatura à Prefeitura de Curitiba logo após a derrota na disputa pelo Senado em 2010. Em sua carta de desfiliação, Fruet comentou que concorreu na eleição passada a pedido do partido, apesar de ter em seu horizonte a reeleição quase certa ao cargo de deputado federal.

"Não exigi cargos nem estrutura", escreveu na carta. "Entretanto, estabeleceu-se um constrangedor silêncio sobre o tema e multiplicaram-se evidências de que o partido, por decisão sua, preferia outro caminho, fora do PSDB", afirmou, no texto. Fruet criticou a decisão do partido de apoiar a reeleição do prefeito Luciano Ducci (PSB), que assumiu o cargo depois que Beto Richa se desincompatibilizou para concorrer ao governo do Estado, no ano passado.

"Infelizmente, não há cultura e tradição partidária que tornem a política sem ingenuidade, uma atividade brutalizada e com muita dissimulação, um espaço de convergência e previsibilidade. Por isso que a cada eleição prevalece o pragmatismo e interesses locais. Por vezes, escusos e nem sempre transparentes. A estes não me submeto, ainda que seja levado pelas circunstâncias a trilhar um novo caminho, que sei que não será fácil", registrou, na carta.

Filho do ex-prefeito da capital Maurício Fruet, morto em 1998, Gustavo Fruet foi vereador e deputado federal por três mandatos. Na Câmara, ganhou destaque nacionalmente ao participar da CPMI dos Correios, que investigou o mensalão, em 2005.

Antes do PSDB, foi filiado ao PMDB até 2004, quando deixou o partido depois de 13 anos por falta de apoio para disputar a prefeitura da capital. Segundo seus interlocutores, o mais provável é que Fruet filie-se ao PDT. O ex-parlamentar tem mantido conversas com o ex-senador Osmar Dias. Tanto o PDT quanto o PV ofereceram a ele o comando do diretório municipal.

É improvável que o ex-tucano se filie ao PSD, partido articulado pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, porque a nova legenda não terá tempo de televisão e de rádio na campanha de 2012. O convite do PSC também tem poucas chances de ser aceito. O deputado Ratinho Junior é pré-candidato do partido e Fruet teria que negociar com a sigla o lançamento de sua candidatura. Fruet poderá ter o apoio do PT, em um eventual segundo turno na disputa municipal.

    Leia tudo sobre: Gustavo Fruet

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG