Nem tentativa de assalto, nem vingança. O cartunista Glauco Villas Boas, de 53 anos, e o filho dele, Raoni Ornellas Pires Villas Boas, de 25 anos, foram mortos, segundo a polícia, por um conhecido da família que frequentava a Igreja Céu de Maria fundada por Glauco e inspirada nos cultos do Santo Daime.

AE
Estudante estava afastado de cultos

Conforme a polícia, o suspeito do crime é o estudante universitário Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, de 24 anos. Nesta tarde, a polícia divulgou uma foto de Nunes .

O advogado da família, Ricardo Handro, chegou a afirmar que ele havia sido preso, mas voltou atrás. O equívoco, segundo ele, aconteceu porque algumas pessoas foram levadas à delegacia para fazer o reconhecimento do estudante, mas apenas por meio de fotos.

De acordo com a polícia, Carlos Nunes vive no Alto de Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, e estava afastado dos cultos.

No fim da noite de quinta-feira, o estudante teria ido ao encontro de Glauco e Raoni, com uma pistola 765. Houve uma discussão e o rapaz disse que iria se matar. Pai e filho tentavam fazê-lo desistir da ideia quando foram mortos com quatro tiros cada.

Eles foram socorridos por moradores e levados ao Pronto-Socorro Albert Sabin, mas não resistiram aos ferimentos. Os corpos chegaram ao Instituto Médico Legal (IML) de Osasco por volta das 6h45 e foram liberados ainda no período da manhã.

Conforme a polícia, depois de assassinar Glauco e Raoni, o rapaz fugiu em um carro. Outras duas pessoas estariam com ele e também são procuradas.

AE
Policiais chegam à casa de Glauco para investigar o caso

Nesta sexta-feira, quando a morte dos dois veio a público, a primeira hipótese levantada é de que se tratava de uma tentativa de assalto praticada por dois homens. 

No entanto, o caso foi registrado apenas como homicídio no Boletim de Ocorrência elaborado pela polícia. Uma testemunha reconheceu o suspeito como frequentador da igreja e, a partir desta identificação, a polícia levantou informações sobre o carro e chegou até o rapaz.

A pedido da família, o velório dos dois acontecerá em uma cerimônia reservada e o acesso ao público só será permitido no enterro, previsto para o sábado, no Cemitério Gethsemani Anhanguera, na Vila Sulina, em São Paulo. 

Carreira

AE
Glauco em foto de 1986
Nascido em 1957, em Jandaia do Sul, no Paraná, Glauco Villas-Boas publicou sua primeira tira em 1976 no Diário da Manhã, de Ribeirão Preto. A carreira decolou após ser premiado no Salão Internacional de Humor de Piracicaba, também em 1976, e na 2ª Bienal de Humorismo y Gráfica de Cuba.

Glauco começou a publicar suas tiras no jornal "Folha de S.Paulo" de maneira esporádica em 1977 e, em 1984, os desenhos passaram a ser regulares. Ele desenvolveu os personagens Geraldão, Casal Neuras, Doy Jorge, Dona Marta e Zé do Apocalipse.

Como redator, fez parte do elenco de redatores da TV Pirata, da Rede Globo. Músico, também tocava em bandas de rock.

Em parceria com os cartunistas Angeli e Laerte, lançou os "Los Três Amigos", tira com histórias sarcásticas que também eram publicadas pela Folha. Em 2006, publicou o livro "Política Zero", com 60 charges sobre a crise no governo Lula.  

Reprodução Folha de S.Paulo de 12/03/2010

Charge do cartunista publicada nesta sexta-feira

*Com informações da Agência Estado

Leia também:

Leia mais sobre: Glauco

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.