Fraude no RN e PB pode superar R$ 36 mi, aponta PF

A Polícia Federal do Rio Grande do Norte informou que a Operação Higia, deflagrada hoje para combater fraudes em licitações que podem superar R$ 36 milhões, abrange também a Paraíba. Cerca de 190 policiais federais cumpririam ao longo do dia 13 mandados de prisão, um deles contra o filho da governadora do Rio Grande do Norte, Vilma de Faria, o assessor parlamentar Lauro Maia, preso pela manhã, e 42 mandados de busca e apreensão.

Agência Estado |

A operação se destina à investigação e desarticulação de uma quadrilha responsável por desvios de verba pública, por meio de fraude a processos licitatórios, que resultaram na celebração ilícita de contratos de higienização hospitalar e locação de mão-de-obra, bem como celebração de aditivos aos referidos contratos. Conforme a PF, houve também a prática de corrupção de agentes públicos e tráfico de influência para contratações emergenciais.

Segundo a polícia, a quadrilha promovia o desvio de verbas públicas por meio de contratos mantidos pelas empresas investigadas com o Poder Público. Os contratos eram celebrados e prorrogados mediante o pagamento indevido a servidores públicos. As investigações se iniciaram no final de 2005 e foram conduzidas pela Superintendência Regional da PF no Rio Grande do Norte.

O pagamento das faturas mensais dos contratos ilicitamente celebrados equivale a R$ 2,4 milhões ao mês. Os valores dos contratos fraudados chegam à soma de mais de R$ 36 milhões em todo o período investigado. Os presos poderão responder pelos crimes de falsidade ideológica, peculato, corrupção, prevaricação, tráfico de influência, fraude à licitação, dispensa indevida de licitação, patrocínio de interesse privado e prorrogação contratual indevida.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG