Fraudadora do INSS é condenada a devolver R$ 200 mi

Jorgina de Freitas foi condenada a 14 anos de prisão em 1992, fugiu do país e acabou recapturada em 2008

Agência Brasil |

BRASÍLIA - A advogada Jorgina de Freitas, conhecida por causar um rombo sem precedentes ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) na década de 90, foi condenada a devolver R$ 200 milhões aos cofres públicos. A decisão é da 27ª Vara Federal do Rio de Janeiro, que também condenou o contador Carlos Alberto Mello e manteve o bloqueio de todos os bens dos envolvidos na fraude para leilão.

Até agora, mais de R$ 69 milhões subtraídos pelo golpe já foram devolvidos. O valor total do desvio seria da ordem de R$ 500 milhões, mais de 50% de toda a arrecadação do INSS à época.

Jorgina foi condenada a 14 anos de prisão em 1992, mas fugiu para a Costa Rica, onde ficou até 1997. Ela foi recapturada pela Justiça brasileira em 2008 e está presa desde então. Recentemente, o Supremo Tribunal Federal (STF) negou recurso de Jorgina para apelar da sentença que a condenou pelas fraudes.

    Leia tudo sobre: INSSjustiçafraudeprevidência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG