Nova York, 15 mai (EFE).- O edifício que acolhe o Guggenheim de Nova York completa este ano 50 anos, um marco que o museu comemora a partir de hoje com uma retrospectiva sobre a extensa obra do gênio que o desenhou, o arquiteto americano Frank Lloyd Wright.

"Frank Lloyd Wright: From Within Outward" (Frank Lloyd Wright: de dentro para fora) apresentará até 23 de agosto um total de 64 projetos que o arquiteto criou ao longo de uma extensa carreira, na qual, dedicado a todo tipo de construções, revolucionou o conceito de espaço.

A famosa espiral que forma o Museu Guggenheim nova-iorquino, com a qual Lloyd Wright (1867-1959) deu ao mundo uma nova ideia de como deviam ser os museus, recebe mais de 200 desenhos originais -alguns nunca expostos -, assim como maquetes, fotografias e composições audiovisuais que evidenciam a criatividade do polêmico arquiteto.

"Mais que uma retrospectiva, a exposição se centra na diversidade da visão e da concepção que Wright tinha da arquitetura, e em como tentou torná-las realidade", explicou em comunicado Phil Allsopp, presidente da Fundação Frank Lloyd Wright, organizadora da mostra junto ao Guggenheim.

Partindo do primeiro andar do museu, a exposição avança em sentido ascendente pela espiral que forma o prédio e pela qual, por ordem cronológica, é possível apreciar a diversidade dos projetos - alguns não realizados - que concebeu ao longo dos 72 anos que dedicou à arquitetura.

Wright não pôde ver a conclusão do projeto, já que morreu meio ano antes de o Guggenheim ser inaugurado, em outubro de 1959.

O Museu Metropolitano de Nova York (Met) também faz comemorações, já que em 19 de maio será aberta ao público, após dois anos de obras, a ala que a instituição dedica à arte americana e que acolhe coleções de cerâmica, escultura, cristais e pedras preciosas do museu. EFE dvg/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.