São Paulo, 13 - O vice-prefeito de São Bernardo do Campo (SP), o cantor Frank Aguiar (PTB-SP), antecipou neste sábado de carnaval que irá se candidatar novamente a deputado federal, cargo do qual se descompatibilizou em 2008. Serei candidato novamente pelo PTB.

Pretendo retomar a minha carreira no Legislativo", afirmou.

Apesar de já ter definido a sua candidatura, o cantor ainda não tem certeza quem apoiará nas eleições presidenciais. "O PTB é um partido muito complexo. Ele deve sair rachado em São Paulo e em outros Estados", avaliou. "Ainda não sei, mas devo apoiar a candidata do presidente Lula. Não tenho como ir contra o presidente", completou.

No plano nacional, o PTB, partido de Frank, sofre pressão de lideranças como o ex-ministro da Secretaria de Relações Institucionais José Múcio Monteiro e o líder do PTB no Senado, Gim Argello (DF), para apoiar a pré-candidata do PT, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT). No Estado de São Paulo, contudo, o presidente estadual do partido, o deputado Campos Machado, defende nos bastidores o nome do governador José Serra (PSDB-SP), pré-candidato tucano. "É uma questão que deve ser discutida. Mas ainda não se chegou a um consenso", afirmou.

Carnaval

Um dos convidados do camarote Bar Brahma, ponto de encontro de artistas e celebridades no sambódromo de São Paulo, Frank disse estar bastante animado para desfilar na avenida. O cantor, que será destaque da escola Tom Maior na segunda noite de desfiles, fará o papel do ex-presidente Juscelino Kubitschek, em um enredo cujo tema homenageia os 50 anos de Brasília. Para interpretar o político mineiro, Frank foi aconselhado a cortar os seus longos cabelos, compridos há mais de 15 anos. "Ainda não sei se cortarei. Fiz uma pesquisa por twitter (rede de microblogs) e a maioria dos meus fãs, cerca de 98%, disse para eu não cortar", afirmou Frank.

Perguntado sobre o cenário político atual do Distrito Federal, em especial a prisão na última quinta-feira do governador José Roberto Arruda (ex-DEM), o cantor foi sucinto nas críticas: "Essa parte não merece nem ser dita. Brasília é uma cidade grandiosa. Esses protagonistas de hoje não merecem nem ser citados", criticou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.