Fotógrafa Annie Leibovitz é processada por empréstimo de US$ 24 milhões

NOVA YORK ¿ A fotógrafa norte-americana Annie Leibovitz, uma das mais prestigiosas do mundo, deverá devolver antes do dia 8 de setembro um empréstimo de US$ 24 milhões, que recebeu em 2008 e que gerou um processo pelo suposto descumprimento de um contrato.

EFE |

Apresentado pelo grupo Art Capital a um tribunal de Nova York esta semana, o processo alega que a fotógrafa descumpriu os termos de um acordo assinado entre as partes, através do qual a entidade obtinha os direitos para vender fotografias e outros ativos de Leibovitz, para pagar seu empréstimo.

A ação judicial explica que a fotógrafa entrou em contato, em junho de 2008, com a Art Capital, uma empresa de consultoria de artistas e donos de galerias, sobre sua "grave" situação financeira, devido a dívidas hipotecárias e fiscais e a faturas que deveria pagar.

Annie obteve uma linha de crédito de US$ 22 milhões da American Photography, uma entidade filiada à Art Capital e da qual pegou emprestado US$ 5 milhões, a princípio.

Em dezembro do mesmo ano, a fotógrafa solicitou que o empréstimo fosse aumentado para US$ 24 milhões e a taxa de juros reduzida em 2,75%, o que foi aceito pela credora, segundo o texto do processo, ao qual a Agência Efe teve acesso hoje.

Como parte do acordo sobre a ampliação do crédito, que a fotógrafa utilizou em sua totalidade, e sobre a redução dos pagamentos mensais, Leibovitz autorizou a entidade a atuar como agente exclusivo na venda de fotografias e outros trabalhos da artista, assim como de certas propriedades imobiliárias consideradas como garantia ao empréstimo.

A Art Capital solicitou ao juiz que ratifique que o acordo de venda entre as partes esteja plenamente em vigor e que a empresa tenha o direito exclusivo de vender as obras.

Leia mais sobre: Annie Leibovitz

    Leia tudo sobre: annie leibovitzfotografia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG