SÃO PAULO - O Fórum de Ribeirão Pires ouve, desde as 10h30 desta terça-feira, 12 testemunhas do caso dos dois irmãos, de 12 e 13 anos, de Ribeirão Pires, que foram encontrados queimados e esquartejados em um lixo da cidade. Os acusados no caso são o pai e a madrasta dos meninos.

De acordo com o Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo, foram convocadas oito testemunhas e acusação, oito do juízo (convocadas pelo juiz) e uma outra que não foi localizada. Quatro dos convocados não compareceram ao Fórum nesta terça-feira.

O processo corre em segredo de Justiça, por isto, o TJ não pode informar o conteúdo dos depoimentos.

O caso

O caso da morte dos meninos foi reconstituido em setembro de 2008, após o pai ter prestado depoimento e confessado a participação na morte dos meninos, segundo o delegado de Ribeirão Pires, Ailton Muniz. Ainda de acordo com a polícia, a madrasta confessou que ajudou o pai. Os dois estão presos temporariamente.

No dia 6 de setembro, catadores de lixo encontraram parte de um corpo dentro de um dos sacos de lixo que estavam no caminhão de coleta. A polícia foi acionada e encontrou outras partes parcialmente carbonizadas de corpos.

A tese dos policiais é de que o pai teria asfixiado e queimado os filhos, enquanto a madrastra teria esquartejado o que restou dos corpos.

Existiam dois boletins de ocorrência registrados em relação aos meninos, por abandono e desaparecimento.

Leia mais sobre: mortes - Ribeirão Pires

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.