CURITIBA - A Força Sindical do Paraná espera reunir nesta quinta-feira 150 mil pessoas nas comemorações da 7ª edição do 1º de Maio Solidário. O evento , que será realizado em frente ao Palácio Iguaçu, em Curitiba, tem como principal bandeira de luta a redução da jornada de 44 para 40 horas semanais. A manifestação foi organizado por diversas lideranças sindicais, com o apoio do governo estadual.

Segundo o presidente da Força Sindical do Paraná, Sérgio Butka, a meta é superar os 120 mil trabalhadores que compareceram ao evento no ano passado. Além de Curitiba, a comemoração será realizada em Londrina, Matinhos, Irati, Jacarezinho e Cornélio Procópio. O governador Roberto Requião aproveita a data para sancionar, às 15h30, a lei que institui o novo salário mínimo regional, cujo valor vai variar de R$ 527 a R$ 548.

Butka explicou que neste ano o tema principal da campanha é a redução da jornada semanal de trabalho. Os trabalhadores querem coletar 1,5 milhões de assinaturas com o abaixo-assinado que circula em todo o Brasil para pressionar o Congresso Nacional a aprovar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 393/01, que reduz a jornada de trabalho para 40 horas semanais. Se aprovada, a MP pode gerar 2,2 milhões de empregos, de acordo com cálculos do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Os trabalhadores também reivindicam a aprovação das Convenções Coletivas de Trabalho (CCT) 151 e 158 da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Se for aprovada, a Convenção 158 barra a rotatividade de mão-de-obra, já que o patrão poderá demitir, mas não sem justificativa, disse o presidente da Força Sindical do Paraná.

Leia mais sobre: comemorações do 1º de maio

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.