Foragido, ex-cirurgião plástico diz que vai sair do País

Foragido da Justiça desde sábado, depois de convocar uma entrevista para anunciar que não retornaria à prisão após a saída temporária para as festas de fim de ano, o ex-cirurgião plástico Hosmany Ramos deu ontem novas declarações por meio de celulares de amigos. Ele reafirmou que não voltará ao Presídio de Valparaíso e contou que está tentando sair do Brasil para retomar a carreira médica e dar continuidade à de escritor.

Agência Estado |

Uma organização internacional está me dando apoio para que eu vá para outro país e atenda crianças carentes, revela Ramos, mas todos saberão os detalhes na hora certa. Se eu falar agora, posso estragar o plano. O ex-médico, que trabalhou com Ivo Pitanguy e era presença frequente nas colunas sociais, se recusou a voltar à cadeia e escreveu à mão um manifesto em que denunciava a superlotação, as péssimas condições sanitárias e a falta de atendimento médico aos presos.

O episódio é insólito, afirma o jurista Luiz Flávio Gomes. Ele ofendeu e desafiou o Judiciário, que deve responder à altura. Apesar do desafio, nenhum esquema policial especial foi montado para recapturar Ramos.

Para Gomes, a polícia estaria esperando para ver até onde ele vai. E ele quer ir longe: com o nono livro a ser lançado pela Editora Geração, o foragido espera firmar sua carreira literária. E com o atendimento às crianças pobres em outro país, Ramos espera que as autoridades percebam que ele é mais útil fora da prisão. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia mais sobre: Hosmany Ramos

Leia também

    Leia tudo sobre: cirurgião

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG