Fogo destrói pavilhão de artesanato em Maceió

Incêndio começou pela manhã e atingiu praticamente todas as lojas do conhecido centro de comercialização

AE |

selo

Um incêndio, cuja causa ainda não está sendo investigada, destruiu na manhã deste sábado o Pavilhão de Artesanato da Pajuçara, na orla marítima de Maceió. O fogo começou de manhã cedo e atingiu praticamente todas as lojas do conhecido centro de comercialização, que oferece aos turistas peças artesanais dos mais diferentes municípios de Alagoas. As chamas só foram debeladas no final de manhã, depois de muito trabalho.

O Corpo de Bombeiros ainda não sabe o que teria provocado o incêndio, mas há suspeitas de que as chamas tenham sido provocadas por um problema na parte elétrica do pavilhão, que tem um primeiro andar, onde funciona o Restaurante Trufas. Os comerciantes disseram que perderam tudo e que o prejuízo poderia ter sido menor se o Corpo de Bombeiros não tivesse demorado tanto para apagar as chamas.

De acordo com populares, que se aglomeraram no local, o incêndio começou por volta das 8 horas da manhã, no térreo do Pavilhão, e se alastrou até o 1º andar, atingido o teto do estabelecimento. Os bombeiros informaram que seis barracas ficaram completamente destruídas na parte térrea. Elas estavam localizadas nos fundos do Pavilhão, com entrada pela Avenida Engenheiro Mário de Gusmão.

Os artesãos disseram que os bombeiros se esforçaram, mas enfrentaram problemas de falta d'água. "Eles trouxeram um caminhão para apagar o fogo, mas a água acabou. Por isso, tivemos que ajudar a apagar o fogo, que se fosse controlado com maior rapidez não tinha se espalhado tanto", comentou uma artesã, que ainda quis entrar no local do incêndio, para tentar salvar algumas peças de artesanato, mas foi impedida pelos amigos.

Os moradores vizinhos também ajudaram a debelar as chamas com baldes de água. Um morador usou a mangueira da casa onde mora para ajudar apagar o fogo. Segundo os comerciantes, enquanto as chamas cresciam e a fumaça tomava conta do local, as outras viaturas dos bombeiros demoraram a chegar ao Pavilhão. Por isso, dezenas de pessoas, com baldas d'água, ajudavam a combater o fogo.

O fogo só foi controlado horas depois, quando dois caminhões-tanque de combate a incêndio chegaram ao local e foram usados contra o incêndio. A operação rescaldo também mobilizou viaturas de resgate, para atender quem passasse mal e precisasse de atendimento. No entanto, ninguém se feriu ou precisou de socorro. A sorte dos artesãos foi que, quando o fogo começou, o espaço estava fechado.

    Leia tudo sobre: incêndiomaceiófogobombeiros

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG