FMI vê contração brasileira de 1,3% neste ano

Por Walter Brandimarte NOVA YORK (Reuters) - A economia da América Latina deve se contrair em 1,5 por cento neste ano, conforme os preços da commodity caem e a entrada de capital diminui, mas uma modesta recuperação é provável em 2010, informou o Fundo Monetário Internacional (FMI) nesta quarta-feira.

Reuters |

Para o Brasil, o prognóstico é de contração de 1,3 por cento em 2009 e expansão de 2,2 por cento em 2010.

Há três meses, o FMI havia previsto para a América Latina como um todo uma expansão de 1,1 por cento na economia latino-americana.

Para 2010, o órgão agora estima que a região deve crescer 1,6 por cento, quase metade dos 3 por cento previstos em janeiro.

"O principal perigo é que uma desalavancagem financeira prolongada em economias avançadas resultará em uma parada prolongada do fluxo de capital, o que iria exigir um ajuste doméstico ainda mais acentuado", alertou o FMI em seu última avaliação da economia mundial.

Países como Argentina, Brasil, Chile, México e Venezuela, que estão entre os maiores esportadores mundiais de matérias-primas, têm sido particularmente afetados pela queda dos preços das commodities resultante da crise econômica global, acrescentou o FMI.

Enquanto o Brasil e o México forneceram liquidez aos mercados domésticos, um grande número de países latino-americanos também conseguem implementar algumas políticas monetárias e fiscais.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG