Florais de Bach ajudam tratar criança hiperativa, diz terapeuta

Florais de Bach não tratam doenças, mas emoções em conflito. E, a partir do equilíbrio emocional o paciente pode ter sucesso maior no tratamento de patologias, explica a terapeuta floral Maria Aparecida das Neves, educadora da Fundação Dr.

Agência Estado |

Edward Bach. “É por isso que chamamos os Florais de Bach de terapia complementar". Já conhecido dos adultos, método passou a ajudar os pequenos hiperativos, uma tentativa dos pais de não comprometer o rendimento escolar.

Maria Aparecida destaca que os florais dão suporte ao tratamento de doenças e que resultados obtidos pelo dr. Bach indicaram que o paciente, utilizando-se desse método, responde mais rápido à medicina tradicional. De acordo com a terapeuta, a vantagem do uso de florais em crianças, em relação aos adultos, é que elas têm menos "resistências". "O objetivo dos florais é chegar à essência original do indivíduo, que se perde ao longo dos anos. Acontecimentos durante a vida podem ter levado a pessoa criar 'defesas' que resultam nos conflitos emocionais. As crianças, assim, estão mais próximas dessa essência".

Sem esses conflitos emocionais que levam ao chamado "efeito cebola" no adulto - quando uma série de emoções cobre a outra, como camadas, e precisa ser descascada até a essência -, as crianças podem apresentar comportamentos que prejudicam, principalmente, o rendimento escolar.

Entre os que mais preocupam os pais está o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Agitação e desatenção são apenas alguns dos comportamentos da criança que sofre desse mal. No entanto, seu diagnóstico requer cuidado, pois esses estados de ânimos também são comuns na infância. “A repetição desses sintomas em todos os ambientes é que sinaliza o TDAH”, ressalta Maria Aparecida.

"Na escola, a criança hiperativa não presta atenção à aula porque para ela as aulas são um tédio, o que se reflete em baixo rendimento escolar. Dificilmente, ela respeita regras ou obedece ordens, além de atrapalhar toda a turma.”.

Essências

Os Florais de Bach, pesquisados pelo britânico Edward Bach, trata dos 38 estados emocionais com essências que correspondem à vibração oposta a esses sentimentos, com objetivo de estabelecer equilíbrio. Esses estados são divididos em sete categorias, como solidão, medo, insegurança, desânimo, hipersensibilidade, entre outros.

Para ajudar no tratamento de crianças com TDAH, os Florais de Bach têm essências que atendem aos ânimos hiperativos. No entanto, a terapeuta lembra que esse método também requer acompanhamento de um especialista. Para “crianças desligadas”, que demonstram falta de interesse pelas circunstâncias presentes, o indicado é o floral Clematis. Já o floral White Chestnut ajuda no discernimento, para os pequenos que, apesar de terem mil idéias, mas não conseguem finalizar nenhuma. O Chestnut Bud é usado para ajudar no aprendizado.

Para tratar a impulsividade, irritabilidade e nervosismo gerados pela impaciência, a essência vem de flores em tom rosa claro, o Impatiens, que pode acalmar e estimular os pequenos a cumprir suas tarefas "sem pressão". Para combater o baixo rendimento, que pode ser reflexo da baixa auto-estima, a essência indica é Larch, "que vai dissolver o sentimento de inferioridade e o medo do fracasso", explica a Maria Aparecida. Já a criança rebelde, manifestando agressividade, é tratada com Agrimony, "para despertar a serenidade”.

Liliam Raña

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG