Fiscalização da Lei Seca precisa aumentar, diz Genro

O ministro da Justiça, Tarso Genro, afirmou hoje que a fiscalização precisa ser mais forte para inibir o uso de álcool entre motoristas. Ele lembrou que o ministério comprou dez mil bafômetros e os equipamentos estão sendo distribuídos às autoridades estaduais, que controlam o trânsito nas cidades, onde o problema é mais frequente.

Agência Estado |

A Polícia Rodoviária Federal já está aparelhada com os bafômetros, disse Tarso. "É necessário que a fiscalização seja mais forte, que as autoridades se dediquem mais a isso porque é uma questão também de redução da violência nas cidades", avaliou o ministro, que foi palestrante em reunião na Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Rio Grande do Sul (Federasul).

Para o ministro, o fato de o consumo de álcool entre motoristas ter retornado ao patamar anterior à vigência da Lei Seca quer dizer "que as pessoas estão confiando que a lei não vai pegar". Pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde indicou que 2,2% dos entrevistados admitiram beber antes de dirigir em março. Em agosto do ano passado, o índice foi de 0,91%, pouco após a promulgação da lei, em junho.

Sobre o contingenciamento de 43% no orçamento de sua pasta, que cortou o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), Tarso disse que terá uma reunião com o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, na segunda-feira, quando espera reverter a decisão. Ele explicou que os dois ministérios discutem em que medida será restabelecido o orçamento da Justiça. Tarso disse que não há riscos para o andamento de projetos do Pronasci até junho e o que está contratado será realizado. O contingenciamento teria interferência sobre as ações do programa depois de julho.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG