Fiscais encontram mudas de maconha em operação em reserva ambiental no Rio

RIO DE JANEIRO ¿ Agentes da secretaria municipal de Meio Ambiente, com apoio de equipes do Parque Nacional da Tijuca e do Instituto Estadual do Ambiente, realizaram nesta sexta-feira uma operação no Parque Estadual do Grajaú para retirar ocupações irregulares no local. Na região, os fiscais encontraram um sítio particular com mudas de maconha, animais e uma plantação de produtos agrícolas.

Redação |

Para o coordenador do núcleo municipal do Parque Nacional da Tijuca a responsabilidade pelas mudas de maconha não pode ser atribuída à família que morava no sítio já que, segundo ele, muitas pessoas têm acesso ao local. A secretaria municipal de Habitação irá decidir o que vai ser feito com a casa onde residia o casal.

De acordo com a secretaria, a área ocupada pelo sítio será reflorestada. A pasta informou que operações como a realizada nesta sexta-feira acontecerão constantemente para evitar a ação de caçadores e pessoas que fazem desmatamento. O Parque do Grajaú é uma unidade de conservação que estava sob a tutela do governo estadual, mas desde janeiro deste ano passou a ser administrado pela Prefeitura do Rio.

O parque foi criado em 1978, com o nome de Reserva Ambiental do Grajaú. Durante muitos anos foi gerido pelo governo federal, que passou sua gestão, em 2006, para o governo estadual. O espaço conta com 55 hectares remanescentes de Mata Atlântica que abriga espécies nativas com o mico-estrela e o gavião caçador. 

O local é muito procurado por praticantes do montanhismo, porque a Pedra do Andaraí [também conhecida como Pico Perdido ou Pico do Papagaio] se eleva a 444 metros acima do nível do mar. A pedra é um dos principais símbolos do bairro.

Leia mais sobre: maconha

    Leia tudo sobre: maconhareservas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG