Fiscais da Saúde avaliam mortes de bebês no Pará

BELÉM - Integrantes do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado da Saúde do Pará se reuniram nesta terça-feira na Santa Casa de Misericórdia de Belém para avaliar a situação do hospital onde 22 recém-nascidos morreram desde o mês passado.

Agência Estado |

Na unidade, problemas como a superlotação dos berçários e da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), além de funcionários despreparados se acumulam.

As técnicas Elza Giugliani, da comissão técnica de saúde da criança, e Daphine Rottner, da saúde da mulher, têm até o próximo final de semana para produzir um relatório sobre as causas das mortes. Tanto a secretaria como os técnicos enviados pelo Ministério da Saúde não se manifestaram ontem sobre o andamento das investigações.

Enquanto, o Ministério Público pede a instauração de inquérito policial para apontar responsáveis pela desorganização e problemas detectados no atendimento do local e o Tribunal de Contas do Estado analisa o uso da verba destinada ao hospital, a angústia dos parentes de bebês internados aumenta na fila da visita aos internos.

Por volta das 17 horas de ontem, cerca de 50 pessoas - entre pais e parentes - esperavam na entrada principal da Santa Casa para visitar os bebês. Nenhum deles sabia explicar os últimos acontecimentos na UTI neonatal. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Leia mais sobre: Pará

    Leia tudo sobre: pará

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG