Fiocruz mapeia vírus da gripe H1N1; Brasil tem 20 casos suspeitos

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - Pesquisadores da Fiocruz concluíram o primeiro sequenciamento genético do vírus da gripe H1N1 mapeado no Brasil, informou o Ministério da Saúde nesta segunda-feira, dia em que o número de casos suspeitos da doença no país caiu de 22 para 20, com 8 casos confirmados. De acordo com o ministério, os estudos não mostraram nenhum indício de variação no vírus encontrado no Brasil em relação ao que circula em outros países.

Reuters |

Os cientistas brasileiros depositaram as sequências genéticas mapeadas do vírus no dia 15 de maio no National Center for Biotechnology Information (NCBI), no National Institute of Health (NIH) dos Estados Unidos.

Eles utilizaram material coletado junto a três pacientes, sendo dois do Rio de Janeiro e um de Minas Gerais, todos diagnosticados no Laboratório de Vírus Respiratórios e Sarampo do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz).

Anteriormente, Estados Unidos, Canadá, Alemanha e Suíça, entre outros países, já haviam efetuado depósitos dessas sequências genéticas no NCBI.

"Uma análise preliminar mostrou que os vírus encontrados nos casos brasileiros (...), quando comparados com sequências depositadas por outros países, vemos que eles mantêm as mesmas características, ou seja, não existe indicativo de variação em relação ao vírus que circula em outras localidades", disse o pesquisador Fernando Motta, do Laboratório de Vírus Respiratórios e Sarampo do IOC, em nota divulgada pelo Ministério da Saúde.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o H1N1 já foi confirmado em 8.829 pessoas em 40 países, causando 74 mortes -- a maioria no México.

SUSPEITAS EM QUEDA

O Ministério da Saúde informou nesta segunda-feira que o número de casos suspeitos da nova gripe H1N1 no Brasil sofreu mais uma queda, de 22 para 20, enquanto os confirmados permanecem em oito há mais de uma semana.

São Paulo, com 6 pacientes, lidera os Estados com casos suspeitos, seguido por Minas Gerais (4), Distrito Federal (3), Alagoas (1), Amapá (1), Pernambuco (1), Piauí (1), Rio de Janeiro (1), Rio Grande do Sul (1) e Rondônia (1).

Outros 19 casos estão sendo monitorados em nove Estados, enquanto 270 foram descartados após a realização de exames, informou o Ministério da Saúde em comunicado.

O último caso no Brasil da doença, que ficou conhecida como gripe suína, foi confirmado pelo ministério no dia 10 de maio. Dos oitos casos registrados, dois foram contraídos dentro do território brasileiro, o que faz do país um dos 10 no mundo que apresentaram a chamada transmissão autóctone.

Apesar disso, o Ministério da Saúde considera que não há evidências de uma transmissão sustentada de pessoa para pessoa do vírus H1N1 no país, já que os pacientes contaminados são muito próximos de um primeiro paciente que contraiu a doença durante viagem ao México, onde a epidemia começou.

(Por Pedro Fonseca e Fabio Murakawa)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG