Fim de urgência para projetos do pré-sal deve valer também no Senado, diz Sarney

BRASÍLIA - O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), disse nesta quinta-feira que a retirada do regime de urgência dos projetos que regulamentam o marco regulatório do pré-sal deve valer não só para a Câmara dos Deputados, mas também para o Senado. Segundo Sarney, não cabe um regime especial na Câmara e um regime diferente no Senado.

Agência Estado |


"A mim parece que não cabe um regime especial na Câmara e um regime diferente no Senado. Tem que ser um regime para as duas Casas. Não conheço o que foi decidido com o presidente Michel Temer (presidente da Câmara)", disse o presidente, ao final da sessão solene em homenagem à Associação dos Magistrados Brasileiros.

Nesta quarta-feira, o presidente da Câmara, deputado Michel Temer (PMDB-SP), anunciou que o presidente Lula aceitou retirar a urgência dos quatro projetos que tratam de pré-sal após um acordo feito entre líderes do governo e da oposição para que haja um calendário de votações para as propostas.

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), disse, entretanto, que a urgência pode ser imposta novamente, caso os senadores da oposição não façam um acordo parecido, com prazo para votar as matérias.

A preocupação de Jucá deve-se a diferença de forças entre governo e oposição no Senado. Enquanto na Câmara a base aliada possui ampla maioria e consegue aprovar os projetos mais facilmente, no Senado a diferença de forças é equivalente.

Leia mais sobre: pré-sal

    Leia tudo sobre: câmara dos deputadoslulamichel temerpré-salsarneysenado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG