Alexandre e Kleiton confessaram o crime à polícia. Segundo eles, assassinato foi solução para acabar com as brigas em casa

O aposentado Antônio Carlos Lopes, de 57 anos, foi enterrado vivo pelos próprios filhos na cidade de Timon, distante 426 quilômetros de São Luís, capital do Maranhão. Os dois filhos de Lopes, Kleiton de Sousa Lopes, de 21 anos, e Alexandre de Sousa Lopes, de 19, foram presos e acusados de terem participação no homicídio. Em depoimento à polícia, eles confessaram o crime.

Os rapazes revelaram à polícia que o assassinato foi cometido como forma de acabar, em definitivo, com as brigas familiares. Os irmãos alegaram à polícia que Lopes chegava sempre alcoolizado em casa e que espancava a sua esposa, Maria da Conceição Lopes, e os filhos. Eles também seriam espancados porque, na versão dos acusados, o pai não concordava com a opção sexual dos dois.

De acordo com a polícia, no dia 29 de dezembro os dois aproveitaram que o pai tomava remédio para pressão alta e deram, em conjunto, dois remédios para fazê-lo dormir. Logo após a ingestão dos remédios, Antônio dormiu e os filhos o enterraram em um quarto da residência da família. “Ele bebia direto. Era agressivo, temos provas. Eu tive que me isolar”, disse Kleiton à polícia. “Vamos aguardar a perícia, mas é praticamente certo que a vítima foi enterrada viva”, afirmou o delegado de Timon, Ricardo Freire.

Ainda pelas informações da Polícia, o crime começou a ser planejado no dia 24 de dezembro. Um amigo de Kleiton e Alexandre, João André da Costa Rocha, de 23 anos, também foi preso. Ele é acusado de ter participação no crime. Ele seria o responsável pela abertura da cova na casa de Antônio Lopes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.