HAVANA ¿ O ex-presidente cubano Fidel Castro passou as horas mais agradáveis, desde que se afastou da vida política por motivos de saúde, com o escritor colombiano Gabriel García Márquez, a quem convidou para um almoço. Fidel não almoçava com convidados desde o início de sua enfermidade, há quase dois anos.

O encontro com o escritor e sua esposa, Mercedes Barcha, que ocorreu na quarta-feira, foi relatado hoje por Castro nas "Reflexões do Companheiro Fidel", publicadas no jornal cubano Granma.

"Passei as horas mais agradáveis desde que me adoentei há quase dois anos", escreveu Fidel. "Haverá outras", teria respondido o escritor. Fidel conta que "o convidou para almoçar, algo que nunca havia feito com nenhum visitante durante estes quase dois anos porque nunca tinha pensado nisso".

"Compreendi que eu estava realmente de férias. Improvisei. Pude resolver. Eles almoçaram, e de minha parte cumpri a dieta disciplinadamente, sem sair um dedo, não para acrescentar anos à vida, mas produtividade às horas", relatou Fidel.

Durante o encontro de cinco horas e meia, "dezenas de acontecimentos dentro e fora de Cuba, em que ambos estiveram presentes, foram mencionados", escreve o ex-presidente cubano, que permaneceu no poder por 49 anos, "nossa amizade foi fruto de uma relação cultivada durante muitos anos em que o número de conversas, sempre amenas para mim, chegou às centenas. Falar com García Márquez e Mercedes sempre que vinham a Cuba, e isso era mais de uma vez por ano, se transformava em um remédio contra as fortes tensões que de forma inconsciente, porém constante, vivia um dirigente revolucionário cubano".

Leia mais sobre: García Marquez

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.