BELO HORIZONTE (Reuters) - As principais fornecedoras da Fiat concordaram em não demitir mais nenhum trabalhador até 11 de fevereiro, data de um encontro marcado entre sindicalistas e empresários para analisar a evolução das vendas de automóveis no país e o efeito da redução da taxa básica de juro. O acordo foi fechado durante reunião nesta quinta-feira entre integrantes das empresas e do Sindicato dos Metalúrgicos de Betim, Igarapé e São Joaquim de Bicas, e prevê reuniões quinzenais entre empresários e trabalhadores para avaliação do setor.

Pelo acerto, casos particulares serão discutidos individualmente entre a empresa e o sindicato. "A maioria das empresas garantiu a manutenção do nível de empregos", afirmou o presidente do sindicato, Marcelino Rocha.

O encontro ocorre um dia após decisão da Fiat de dar férias coletivas para 800 funcionários até o fim do mês.

Segundo o sindicato, o acordo não inclui as 599 demissões que já estão agendadas para serem homologadas até o próximo dia 30 --quase todas de fornecedoras da montadora italiana.

De acordo com a Fiat, a empresa não tem planos de demissão em curso ou previstos para os próximos dias e também participará das reuniões quinzenais com trabalhadores e fornecedoras.

A Fiat ressaltou ainda que, apesar de o sindicato anunciar que houve 844 demissões no ano passado, a montadora admitiu 1.250 novos funcionários.

(Reportagem de Marcelo Portela; Edição de Daniela Machado)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.