FHC faz documentário sobre drogas e elogia política do Rio

Depois de ter gravado ontem cenas para um documentário sobre drogas no morro Dona Marta, no Rio, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso visitou o movimento Viva Rio e acabou elogiando a atuação do governo Sérgio Cabral (PMDB), um aliado do presidente Lula.

Tales Faria, iG Brasília |

Fiquei bem impressionado com o que vi no Dona Marta, que combinou  a expulsão dos traficantes, a ocupação do território pelo estado e uma série de ações sociais na direção de aumentar  a consciência das pessoas sobre os malefícios da droga e de criar redes de sociabilidade (inclusive oferta de emprego) para aliviar as tensões.

Fernando Henrique Cardoso disse ao iG que a guerra tradicional às drogas não reduziu até hoje nem a produção nem o consumo. Quanto maior for a distinção entre o tratamento que se dará ao usuário, uma questão de saúde pública, e mais recursos forem focados no combate ao tráfico, melhor. Logo, algo mais deve ser feito. Não acredito que haja receitas nem que o que funciona em um país funcione em outro.

Aliado do PSDB na oposição o governo Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-prefeito do Rio Cesar Maia (DEM) abriu polêmica contra  o ex-presidente da República. Em sua news letter eletrônica, o Ex-Blog do Cesar Maia, o ex-prefeito afirma que FHC pode prejudicar o candidato tucano à Presidência, José Serra, na disputa contra a petista Dilma Rouseff, por defender a descriminalização do uso de maconha.

Na nota, intitulada FHC vai fazer gol Contra, Cesar Maia afirma que o ex-presidente, num estilo holandês de ver a vida, decidiu ser o âncora de um filme-documentário propondo que o consumo de drogas, com a maconha como abre alas, corra livre de constrangimento. Uma questão polêmica, de questionável efetividade.

Maia sentencia: Mas uma coisa não é polêmica. 85% das pessoas são contra, sendo que entre os mais pobres 94%. Se não bastasse a populistalização de Lula entre os mais pobres, se entrar este documentário antes das eleições, terá o efeito que o filme dele (Lula) não conseguiu: abalar a população, e especialmente os mais pobres.

Fernando Henrique, por sua vez, não deixou o ex-prefeito sem resposta. Procurado pelo iG, FHC afirmou: O Cesar Maia falou sem se informar e fez gol contra antecipado, jogando nas minhas costas o que ele pensa que eu penso e  levando a questão para a arena eleitoral. O que eu tenho feito ¿ como ainda hoje na reunião do Viva Rio ¿ é  a busca de uma política de estado, PT etc juntos.

Para FHC o Cesar Maia está pensando que o documentário, que aliás só será terminado em 2011, depois das eleições,  propõe a liberação ou a descriminalização da maconha ou de outras  drogas. Nada disso: o que se discute é o que fazer, além da repressão óbvia ao crime organizado, ao tráfico etc. Descriminalizar não significa despenalizar, nem muito menos legalizar. Estamos  ouvindo o que nos EEUU, Colombia, México, Portugal, Holanda, Suíça etc se pensa e se faz para reduzir os danos  causados pelas drogas (todas elas, inclusive álcool e tabaco são nocivas) nas pessoas e nas sociedades. 

    Leia tudo sobre: fernando henrique

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG