FGV ainda não tem estimativa para redução de custos do Senado

BRASÍLIA - A Fundação Getúlio Vargas (FGV), que prepara um estudo para a reformulação administrativa do Senado, ainda não tem uma estimativa para a redução dos custos globais da Casa, que atualmente conta com um orçamento de R$ 2,7 bilhões. De acordo com o diretor Bianor Cavalcanti, somente após uma série de simulações vai ser possível se pensar na economia da instituição.

Severino Motta, repórter em Brasília |

Não temos esse número, teremos esse número com simulações. Esse número não é tão simples de ser realizado, porque quando se extingue funções ou cargos existem economias associadas a isso. Economias muito significativas, mas que não são facilmente quantificáveis, disse.

Por enquanto, do ponto de vista orçamentário, Bianor voltou a dizer que o corte no pessoal comissionado e terceirizado pode chegar a até 40%, caso haja vontade política. Isso representaria a economia de 107 milhões ao ano, pouco menos de 5% do orçamento da Casa.

Dez mil funcionários para 81 senadores é realmente um peso muito intenso. É possível revisão de quantitativos, disse Biano, completando que a presidência do Senado vem tomando as decisões políticas mais ousada dentro do quadro oferecido.

O estudo final da FGV deve ficar pronto em 20 dias, uma vez que a instituição está incorporando sugestões dos servidores do Senado a seu relatório. O custo do estudo para o Senado foi de R$ 250 mil.

Portal da Transparência

Em entrevista coletiva nesta quinta-feira, Bianor destacou a necessidade de implementação completa do Portal da Transparência do Senado o mais rapidamente possível. De acordo com ele, é preciso que um projeto de Resolução determine a publicação de todos os dados da instituição.

Já começou com o novo portal do Senado, que já decolou. E nossa proposta foi aceita e tomou  vida no Senado. Mas é necessário com projeto de Resolução ,que estamos apresentando, para aprofundar aspectos que permitam esse Portal, que está 35% implementado, possa ser plenamente implementado, concluiu.

Leia mais sobre: Senado

    Leia tudo sobre: senado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG