Os principais motivos da evasão escolar de adolescentes são a falta de interesse e a necessidade de trabalhar. Estudo baseado em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que 40,1% dos jovens de 15 a 17 anos abandonam a escola por desinteresse e 27,1% saem por razões de trabalho e renda.

O estudo foi realizado pelo Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Segundo a pesquisa, apenas 10,9% deixam de estudar por falta de acesso à escola e 21,7% o fazem por motivos diversos, entre os quais a gravidez precoce. Coordenada pelo economista da FGV, Marcelo Néri, no ano passado, o estudo verificou que 14,1% dos jovens dessa faixa etária deixaram de estudar. O porcentual é mais alto nas regiões metropolitanas de São Paulo (18,7%) e de Porto Alegre (18,8%) e entre os jovens empregados (28%), o que indica relação entre mercado e abandono escolar.

Néri analisou Pesquisas Nacionais por Amostra de Domicílios (Pnads) de 2004 e 2006 e Pesquisas Mensais de Emprego até o final de 2008. Entre 2004 e 2006, houve recuo do grupo que sai da escola por desinteresse de 45% para 40,1% e crescimento da evasão por trabalho ou busca de emprego, de 23% para 27,1%. Os pesquisadores apontam algumas políticas públicas que poderiam aumentar o interesse pela escola, como por exemplo, ampliar o ensino técnico-profissionalizante, promover a inclusão digital nas escolas e conscientizar os adolescentes sobre os benefícios de longo prazo dos estudos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.