Festival Internacional de Quadrinhos reúne expoentes do gênero em Belo Horizonte

BELO HORIZONTE ¿ Zé Carioca, Batman e Super-homem, sem contar centenas de outros personagens, vão estar todos reunidos, a partir desta terça-feira (06), em um mesmo lugar: Belo Horizonte. A capital mineira sedia, até 12 de outubro, a sexta edição do Festival Internacional de Quadrinhos (FIQ), o maior evento do gênero na América Latina, que oferece um programação repleta de convidados, palestras, exposições, bate-papos e oficinas, tudo com entrada gratuita.

Redação |

Divulgação

Arte de "Retalhos", do quadrinista norte-americano Craig Thompson, que estará na FIQ

O evento surgiu em 1997, no centenário de Belo Horizonte, e se firmou no calendário do continente, em caráter bienal. Na última edição, foram 60 mil visitantes, número que deve ser ultrapassado este ano, com atividades no Parque Municipal, numa tenda de 800 metros quadrados, no Palácio das Artes, centros culturais da Fundação Municipal de Cultura e outros locais, em uma espécie de "Comic-Con brasileira".

Reconhecidos e premiados no cenário internacional, os profissionais brasileiros terão presença de destaque. Rafael Grampá, os gêmeos Fábio Moon e Gabriel Bá, Rafael Albuquerque, Joe Bennett e o cartunista Adão Iturrusgarai, entre outros, estarão presentes. Completando 50 anos de carreira, Mauricio de Sousa, por sua vez, vai conversar com alunos do ensino fundamental, em um bate-papo que atraiu 1240 inscrições.

Reprodução

Zé Carioca desenhado por Renato Canini

As homenagens, como de praxe, vão se estender a veteranos do cenário brasileiro. O gaúcho Renato Canini é um dos mais celebrados desenhistas do Zé Carioca, apesar de nunca ter pisado no Rio de Janeiro. Canini entrou na Editora Abril em 1969 e não demorou muito para ficar responsável pelo personagem, dando a ele o humor e suas tão conhecidas características brasileiras. Também serão lembrados William Salvador, colaborador de várias edições do FIQ,  e a ilustradora Ciça Fittipaldi, duas vezes vencedora do prêmio Jabuti.

Se há espaço para Zé Carioca, também existe para o Homem-Morcego. A mostra "Batman - 70 Anos" comemora o aniversário do personagem da DC Comics, criado por Bob Kane em maio de 1939, a partir do acervo do colecionador Ivan Freitas da Costa. A exposição é apenas mais uma de uma série de outras, dedicadas a quadrinhos chineses, alemães ¿ em especial Jens Harder e Reinhard Kleist ¿ e a Liniers, atualmente o mais importante cartunista argentino, publicado diariamente na Folha de S. Paulo.

Entre os convidados internacionais, estão o norte-americano Craig Thompson, autor de "Retalhos", publicado recentemente pela Companhia das Letras; o australiano Ben Templesmith, ilustrador de "30 Dias de Noite"; e Eddie Berganza, editor-sênior da DC Comics, que volta ao País para analisar portifólios e levar jovens talentos brasileiros à editora da Mulher-Maravilha e Super-homem.

Divulgação

Foie gras de desempregados, produto fictício
criado pelos franceses Cizo e Frédéric Felder

No Ano da França do Brasil, o país ganha programação especial, em uma homenagem presente até mesmo no logotipo do festival. Com forte tradição no formato, a França é a nação europeia que mais dá valor aos quadrinhos, sendo responsável por 20% de todo o mercado editorial. Em Belo Horizonte, serão abertas duas exposições relacionadas ao país, além da vinda de importantes quadrinistas franceses ou radicados na França ¿ Olivier Tallec, Guy Delisle e a dupla Cizo e Frédéric Felder, que apresentará o projeto "Supermercado Ferraile", uma paródia à sociedade de consumo através de produtos fictícios como o foie gras de desempregados, o leite de boi e a pizza em lata.

E não para por aí: a Mostra Mundial de Quadrinhos vai reunir publicações do todo o mundo, em um painel geral do que anda sendo produzido atualmente. São mais de 240 publicações entre álbuns, livros e revistas teóricas e antologias, passando por mangás da Indonésia, álbuns premiados em festivais internacionais, trabalhos da Eslovênia, Polônia e Finlândia e de praticamente todos os estados brasileiros.

Além de sediar sessões de autógrafos e lançamentos de novos trabalhos, a 6ª FIQ também vai oferecer, no Cine Humberto Mauro, ciclos de filmes infantis e adultos que abordam o universo dos quadrinhos. Uma oportunidade para mergulhar no mundo das HQs e tomar cuidado para não se afogar.

Serviço ¿ Festival Internacional de Quadrinhos (FIQ)
Belo Horizonte, de 06 a 12 de outubro de 2009
Palácio das Artes (Avenida Afonso Pena, 1537)
Parque Américo Renné Gianetti (Avenida Afonso Pena, s/nº)
Diariamente das 09h às 21h30
Entrada franca
Programação completa: consulte no site oficial

Leia mais sobre: FIQ , quadrinhos

    Leia tudo sobre: fiqhqquadrinhos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG