Festival Internacional de Curtas discute gênero e traz estrelas do cinema brasileiro

SÃO PAULO ¿ Mais do que estabelecido, o Kinorum ¿ Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo chega a sua 20ª edição não só com fôlego para discutir o papel do formato no audiovisual, mas como uma forma de dar abrigo ao que de melhor existe no gênero. Depois da abertura para convidados nesta quinta-feira (20), cerca de 400 filmes de curta duração, entre 2,5 mil inscritos, começam a ser exibidos a partir de amanhã em 11 salas da capital paulista, sempre com entrada gratuita.

Redação |

Divulgação

Leandra Leal é a protagonista do curta brasileiro "My Favourite Things"

De acordo com a diretora do Kinoforum, Zita Carvalhosa, o tema escolhido para este ano é "Escritas do Cinema", em um período extremamente rico para a produção cinematográfica. "É um estímulo para se discutir não apenas as maneiras de fazer filmes, mas para se pensar antes de fazer e até depois, já que a programação também é uma forma de escrita", aponta.

Outra novidade é a abolição da classificação de gêneros, seguindo uma tendência em voga nos festivais ao redor do mundo. A hibridez nos trabalhos selecionados era tão grande que, além de ser uma tarefa difícil, o enquadramento em apenas um ¿ documentário, animação, comédia ou terror, por exemplo ¿ acabava limitando a compreensão dos filmes. "Essas fronteiras de gênero não são claras e a ausência delas ensina a não se assistir a um filme com um olhar só."

Em tempos de democracia de recursos, em que a tecnologia audiovisual está acessível a qualquer um, o número de filmes aumentou muito e, consequentemente, a vontade de exibi-los também. Por isso, Carvalhosa defende a importância dos festivais para assimilar o que há de relevante nessa alavanche. "Por ser mais fácil, o curta absorve as mudanças mais facilmente. O mundo mudou, a linguagem evoluiu, mas, por outro lado, hoje em dia há um retorno ao formato clássico, enquanto na década de 1960 já existiam  coisas modernas", reflete.

Astros da TV

Apesar da presença de premiados trabalhos internacionais, quem deve chamar a atenção do público brasileiro são os atores famosos nos curtas nacionais. Deborah Falabella (Doceamargo), Leandra Leal (My Favourite Things), Mel Lisboa (Ao Vivo), Antônio Abujamra (O Filme Mais Violento do Mundo) e Ney Latorraca e Paula Burlamaqui (Vida Vertiginosa) são apenas alguns dos que participam dos filmes na extensa programação.

Divulgação

Filme "Vida Vertiginosa" tem Paula Burlamaqui e Ney Latorraca no elenco

A programação brasileira ainda traz novas produções de diretores que despontaram nos últimos anos, como Caetano Gotardo (O Menino Japonês), Vera Egito (Elo), Victor-Hugo Borges (O Menino Que Plantava Invernos) e Júlia Zakia (Pedra Bruta). Já a dupla Júlio Andrade e Tainá Muller, protagonistas do longa "Cão sem Dono", estrelam Mira, de Gregório Graziosi, exibido recentemente no Festival de Locarno.

Aliás, a nata dos principais eventos cinematográficos do planeta está presente. De Cannes, vem o vencedor da Palma de Ouro, o português Arena, de João Salavize; Uma Relação Desgastada, do sueco Patrik Eklund, ganhador da Semana da Crítica; e o tcheco Baba, que levou o prêmio da mostra Cinefondation. A animação Por Favor, Diga Alguma Coisa", uma co-produção Alemanha e Irlanda do diretor David OReily, venceu o Urso de Ouro em Berlim, enquanto Viagem de Negócios", do inglês indicado ao Oscar Sean Ellis, foi escolhido melhor curta de ficção no Bafta.

Serviço ¿ Curta Kinoforum
20º Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo
De 20 a 28 de agosto de 2009
Entrada gratuita
Locais de exibição: Cinesesc, Museu da Imagem e do Som, Espaço Unibanco de Cinema, Centro Cultural São Paulo, Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso, Cine Olido, Cinusp, FAAP, Cineclube Grajaú

Leia mais sobre: curtas-metragens

    Leia tudo sobre: curta-metragem

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG