RECIFE ¿ As ruas de Olinda estão habituadas à música. O frevo domina o cenário em boa parte do ano, mas, desde ontem (2), a cidade abriu espaço para concertos de música instrumental erudita e popular com a Mostra Internacional de Música (Mimo). O festival, que ocorre até o dia 7, também terá programação em João Pessoa e no Recife (4 a 6). Tudo de graça.

São mais de 70 atrações. Além da programação musical, que inclui nomes de peso como a banda cubana Buena Vista Social Club (5), Cesar Camargo Mariano (7) e Hermeto Pascoal (7), os lugares reservados para as apresentações são um destaque à parte.

Igrejas históricas e casarões servirão como palco de concertos como o do violinista Didier Lockwood, que se apresenta hoje (3) na Igreja da Sé. Com direito a participação especial dos músicos pernambucanos Antônio Nóbrega, Siba, Renata Rosa e Seu Luiz Paixão.

Hoje também, no Convento de São Francisco, Fernando Sodré toca, na viola caipira e viola de 14 cordas, obras próprias e de Almir Sater, Pixinguinha, Cartola, Edu Lobo e outros.

A mostra não contempla apenas concertos. Há também exibição de filmes e documentários sobre música. Os longas serão apresentados todos os dias, às 18h30, no Pátio da Igreja da Sé. Entre os títulos, "Orquestra dos Meninos" (baseado na história do maestro pernambucano Mozart Vieira), "Um Homem de Moral", sobre Paulo Vanzolini, "Ninguém Sabe o Duro que Dei", a respeito de Wilson Simonal, e "Palavra (En)Cantada", um passeio pelo cancioneiro popular. Já os curtas e médias estarão em exibição sempre às 18 horas, na Igreja Seminário.

Antes de curtir os shows, uma dica: para as atrações mais concorridas, é preciso retirar senha na Biblioteca Municipal de Olinda. E não custa nada chegar cedo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.