BRASÍLIA ¿ Pelo terceiro ano consecutivo, o Festival de Brasília abre as portas para a participação de deficientes visuais e de deficientes auditivos. Para assegurar um direito igualitário à cultura, os filmes foram legendados e os deficientes visuais contarão com um sistema de audiodescrição. Além disso, os cegos poderão escolher o filme que mais gostarem.

O projeto "Cinema Para Cegos", que existe desde 2007, concretiza o sonho para gente como César Augusto Antaro, 19 anos. É maravilhoso fazer parte do burburinho do festival. Venho para Brasília e fico na casa da minha tia só para poder acompanhar os filmes, afirma o jovem que mora a 100km da capital, em Anápolis (GO). No festival do ano passado, ele pôde ir ao cinema pela primeira vez. Foi quando César descobriu o que é estar numa sala de projeção, com um fone de ouvido, sem se isolar do restante do ambiente, e ainda ficar por dentro de todas as informações legendadas e visualmente relevantes do filme.

A técnica da audiodescrição funciona como um legenda oculta das cenas. Os cegos chegam ao cinema e colocam fones de ouvido. Juntamente com o filme, ouvem gravações de pessoas treinadas que descrevem todos os detalhes daquela em momentos que não coincidam com a fala dos personagens.

Para deficientes auditivos, os filmes foram legendados. E as legendas não podem ser iguais às que vemos nos filmes internacionais, só com as frases: são produzidas por pessoas especializadas, que conhecem também a Linguagem de Sinais. Por exemplo, quando uma cena não tem diálogo e se vê apenas paisagem com uma música de fundo, na tela é colocado o sinal da clave de sol, para eles entenderem o que está se passando.

Ao final do festival, os deficientes visuais podem votar no melhor filme. Após cada exibição, os espectadores poderão emitir sua opinião sobre as produções. Para pontuar a participação, um troféu, criado pelo grupo Arts Táteis, formado por cegos, foi confeccionado e será entregue à melhor película.

Leia mais sobre: Festival de Brasília

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.