Festa Junina deixa Senado em clima de recesso

Um dia depois da indicação do servidor Haroldo Tajra para a direção geral do Senado e de Dóris Peixoto para a diretoria de Recursos Humanos, a Casa, agitada nas últimas semanas por denúncias de irregularidades, hoje vive um clima de recesso, sem a presença dos principais líderes partidários. Um dos motivos para o esvaziamento do Senado é o fato de que hoje é dia de São João, festa considerada importante pelos políticos, principalmente os senadores do Nordeste.

Agência Estado |

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), não foi hoje pela manhã à Casa e só terá agenda na parte da tarde, quando receberá a presidente das Filipinas, Gloria Macapagal Arroyo.

Acordo entre todos os líderes partidários deu um prazo de três meses para que os novos diretores da Casa concluam a sindicância sobre irregularidades administrativas e para que eventuais culpados sejam punidos. Nesse prazo, a expectativa é de que o Tribunal de Contas da União (TCU) conclua a auditoria que será feita na folha de pagamento dos funcionários do Senado, acabando com as folhas suplementares, e nos contratos de serviços e pessoal firmados pela Casa.

A estratégia da cúpula do Senado é a de que, nesses 90 dias, tudo seja colocado em pratos limpos, melhorando a imagem da Casa. Só então deverá ser escolhido um novo diretor-geral para o Senado, que terá provavelmente mandato de dois anos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG