BRASÍLIA - O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Jorge Félix, e o diretor-geral da Abin, Paulo Lacerda, reclamaram nesta terça-feira, em depoimento à Comissão Mista de Controle de Atividade de Inteligência do Congresso Nacional, que a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) foi condenada antes mesmo do resultado do inquérito da Polícia Federal. http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/09/09/cnj_cria_central_de_controle_de_escutas_no_pais_1726987.html target=_topCNJ cria central de controle de escutas no País

Acordo Ortográfico

A Abin foi julgada e condenada antes de se chegar a qualquer conclusão, com apenas uma reportagem e uma confirmação de que houve ligação, afirmou Félix. Já Lacerda observou que "a presunção de inocência deve ser considerada.

A sessão será fechada à imprensa quando começarem os depoimentos. Por ora, Félix e Lacerda apenas fizeram considerações iniciais. Também participa da reunião o diretor-geral da PF, Luiz Fernando Corrêa.

Jorge Félix, Paulo Lacerda e Luiz Fernando Corrêa serão questionados pelos parlamentares sobre as acusações de que a Abin teria grampeado ilegalmente conversas do presidente do Superior Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, de senadores da República e ministros de Estado.

A denúncia feita pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim, de que o Exército e a Abin compraram maletas capazes de fazer grampos telefônicos, também será debatida na reunião.  Por lei, a Abin é proibida de interceptar ligações telefônicas.

Leia mais sobre: CPI dos Grampos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.