Porta-voz dos dissidentes do PSDB que apóiam o prefeito Gilberto Kassab, do DEM, o secretário municipal de Esportes, Walter Feldman, disse hoje que se o reforço tucano tivesse chegado mais cedo, Kassab teria ganho as eleições no primeiro turno. A kassabmania foi tão grande que, se tivesse tido um impulso adicional, Kassab ganharia no primeiro turno, afirmou Feldman.

"Se tivéssemos apoiado o Kassab desde o início, teríamos ganho. Os números mostram isso."

O PSDB referendou hoje apoio à candidatura do democrata, depois da derrota do candidato tucano Geraldo Alckmin, da coligação "São Paulo, na Melhor Direção" (PSDB-PTB-PHS-PSL-PSDC), nas urnas no domingo. Para Feldman, o único empecilho a superar agora são os ressentimentos de alckmistas. "Há manifestações ressentidas", afirmou. "Mas as vozes resistentes expressam muito mais um sentimento do que uma interpretação política dos fatos."

Feldman associou a recusa do PSDB em relação à candidatura de Kassab, da coligação "São Paulo no Rumo Certo" (DEM-PR-PMDB-PRP-PV-PSC), no primeiro turno à idéia de que tucanos precisam sempre ter "a cabeça do processo". "O PSDB desenvolveu a idéia de que os partidos coligados são coadjuvantes. Essa eleição mostrou que um partido coligado pode ser o titular."

Para o secretário, essa autocrítica é fundamental para que o partido chegue unido nas eleições presidenciais de 2010. "Em vez de debater punição ou absolvição de dissidentes, a gente deve fazer uma reflexão autocrítica." Kassab disputará o segundo turno em São Paulo contra a petista Marta Suplicy, da coligação "Uma Nova Atitude para São Paulo" (PT-PCdoB-PDT-PTN-PRB-PSB).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.