Feira musical da Alemanha perde público pela primeira vez

Berlim, 10 out (EFE).- A indústria fonográfica também sofre com a crise econômica, como mostram os dados da edição 2008 da Popkomm, feira mais importante do setor na Europa, que fecha suas portas hoje com público menor que no ano passado, encolhendo pela primeira vez desde que começou em Berlim, em 2004.

EFE |

A indústria fonográfica atravessa "tempos turbulentos", reconheceu o gerente da feira, Ralf Kleinhenz.

"Os problemas do setor musical chegaram a todos os cantos. Isso ficou claro na feira", acrescentou.

A feira contou com 843 expositores, 43 menos que em 2007, que receberam a visita de 14 mil pessoas, mil a menos que na edição anterior.

Apesar da perda de público, Kleinhenz avaliou o fato de que os visitantes "cada vez passam mais tempo no recinto".

Além disso, destacou a internacionalização da Popkomm, com 75% de expositores estrangeiros - 5% a mais que na edição passada -, e lembrou que, pela primeira vez, os Estados Unidos acudiu participarão com um estande próprio.

A quinta edição da Popkomm em Berlim, que teve como convidado especial a Turquia, serviu de vitrine para mais de 50 países que apresentaram suas últimas novidades da indústria musical.

No total, a capital alemã viveu quatro dias de concertos de mais de 400 bandas de 30 de países.

Sobre o futuro da feira, Kleinhenz admitiu que "os números podem seguir caindo nos próximos anos", apesar de ponderar que "a feira pode ser menor, contanto que sempre tenha participantes adequados".

Nesse mesmo sentido pronunciou-se o presidente da Associação Alemã da Indústria Musical, Dieter Gorny, para quem a Popkomm é uma plataforma demais "importante" para o setor para "discutir a cada ano se vieram 10 ou 20 expositores a mais". EFE ira/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG