TEERÃ ¿ As autoridades iranianas declarara nesta quarta-feira que a fatwa que condena à morte o escritor britânico Salman Rushdie, decretada há 20 anos pelo aiatolá Khomeini, continua sendo válida.

"A fatwa ainda não foi anulada e, portanto, é válida", declarou o porta-voz do ministério das Relações Exteriores, Hassan Ghashghavi.

Salman Rushdie, que nasceu na Índia, viveu durante dez anos escondido depois do decreto da fatwa, em 1989, por causa da publicação de seu livro "Versos Satânicos", considerado blasfemo em relação ao Islã pelo aiatolá Khomeini, guia supremo da Revolução Islâmica.

Em janeiro de 2005, o guia supremo iraniano, aitolá Ali Khamenei, afirmou que o escritor britânico continuava sendo um apóstata e, por isso, o Islã autorizava seu assassinato.

Leia mais sobre: Salman Rushdie

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.