Farmacêutica desenvolve gel para tratar boca seca

Na tentativa de conseguir um produto barato e sem efeitos colaterais para combater a secura de boca, mal que atinge principalmente usuários de psicotrópicos e ansiolíticos, a farmacêutica Ana Maria Trindade Grégio, da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), desenvolveu um gel a base de jaborandi, planta genuinamente brasileira. Com a fórmula protegida por registro de patente, ela busca agora a produção comercial.

Agência Estado |

"Mas precisa ter um preço acessível", diz.

Os estudos que levaram ao desenvolvimento do produto, incluindo um sobre os efeitos dos psicotrópicos (usados no combate a doenças como ansiedade e depressão) nas glândulas salivares, foram publicados pela revista Medicinal Chemistry neste ano. "A eficiência da planta foi testada em antidepressivos de várias gerações, conseguindo reagir para todas." Atuando na Clínica de Odontologia da PUC-PR, que atende pessoas carentes, Ana Maria disse que, entre as principais reclamações, estavam a sensação de secura na boca (xerostomia) e afta. Ao conversar com essas pessoas, descobriu que a maioria fazia uso de psicotrópicos ou tranquilizantes. "A saliva é rica em proteínas, tem enzimas digestivas. Sua falta gera complicações como infecções fúngicas, aftas, doenças periodontais e cáries", disse.

Uma das alternativas é o uso de saliva artificial. Também são utilizadas drogas que estimulam a área do sistema nervoso que atua nas glândulas salivares. No entanto, alguns dos sais são importados, o que encarece o produto. De acordo com ela, por serem ingeridos, eles têm efeitos colaterais, aumentando a produção de lágrimas e urina. No caso do gel, a ação também se dá no sistema nervoso estimulando as glândulas a liberarem a saliva natural. Mas, por ser de uso tópico oral, não teria efeitos colaterais. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG