A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) ajudará o setor agrícola de países em desenvolvimento a reduzir a emissão de gases estufa, afirmou hoje sua representação em Roma. O programa, de vários doadores, pretende promover a agricultura sustentável com baixa emissão (de gases estufa) nos próximos cinco anos, em parceria com os países e outras organizações relevantes, informou a FAO.

A agricultura responde por 14% da emissão global de gases que provocam o aquecimento.

"A Finlândia é o primeiro país a contribuir com um programa de US$ 60 milhões da FAO para apoiar o combate às mudanças climáticas por meio da agricultura dos países em desenvolvimento", declarou a instituição em pronunciamento.

O diretor-geral assistente da FAO, Alexander Mueller, afirmou que "já existem muitas tecnologias viáveis e práticas de produção para separar o carbono em pequenas propriedades". "Isso inclui práticas usadas na agricultura de conservação e orgânica, com base em pouca ou nenhuma aragem; utilizando resíduos para compostagem ou adubagem; o uso de lavouras perenes para cobrir o solo; replantio ou melhor gerenciamento dos pastos e florestas, combinando lavouras e árvores"

Pela primeira vez, o programa "criará uma base de dados global sobre projetos atuais e projeções para emissão de gases estufa, no campo e na agricultura, nas mais importantes commodities agrícolas, países e regiões". Na semana passada, a FAO havia dito que, embora a agricultura possa oferecer formas eficientes e baratas de reduzir as emissões de gases, vem sendo "amplamente excluída" dos debates na reunião de cúpula em Copenhague. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.