A índia Tuíra, que ficou conhecida em 1989 por encostar um facão no rosto do então diretor da Eletronorte, José Antonio Muniz Lopes, está a caminho de Brasília.

Ela vai participar de audiência pública que acontece nesta terça-feira sobre a construção da hidrelétrica de Belo Monte. Assim como no Encontro dos Povos Indígenas do Xingu, realizado em Altamira em 89, ela está carregando um facão. O gesto foi amplamente divulgado.

Audiência em Brasília

Dois ônibus saíram de Altamira, oeste do Pará, na manhã de sábado com 30 índios, entre eles 4 caciques, e agora, em Redenção, um grupo de 8 índios kaiapó passaram a integrar a caravana. Eles estão indo protestar contra a construção da usina de Belo Monte.

A viagem é organizada pelo Movimento Xingu Vivo para Sempre. Um dos ônibus tem representantes de ONGs e fundações e o outro leva lideranças indígenas a Brasília. Todos vão acompanhar audiência pública que discute a polêmica construção da hidrelétrica de Belo Monte, principal obra do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo Lula.

Leia mais sobre Belo Monte

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.