As famílias das duas jornalistas americanas detidas na Coreia do Norte pediram ao governo de Pyongyang que mostre compaixão, e se disseram devastadas pelas sentenças de trabalhos forçados, em uma nota divulgada nesta segunda-feira.

Os familiares de Laura Ling e Euna Lee pediram desculpas ao governo norte-coreano pelo ingresso "acidental" das jornalistas no território comunista.

As duas famílias estão "comovidas e devastadas" pelas penas de 12 anos de trabalhos forçados contra as jornalistas.

"Pedimos ao governo da Coreia do Norte que mostre compaixão e conceda a Laura e a Euna clemência, e permita seu regresso à casa com suas famílias".

sct/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.