Familiares de reféns são atendidos em hospital no ABC

Chocados com o desfecho do seqüestro de Eloá e Nayara, parentes das vítimas tiveram de ser socorridos às pressas no Centro Hospitalar Municipal de Santo André, no ABC paulista, onde as adolescentes estão sendo atendidas. Os pais de Eloá estão sedados.

Agência Estado |

Policiais fazem perícia no apartamento onde as menores foram mantidas reféns por mais de 100 horas. Eduardo Lopes, advogado do autor do seqüestro, Lindembergue Alves, deixou o caso.

A ex-namorada de Lindembergue, Eloá, de 15 anos, está no centro cirúrgico no Centro Hospitalar. Segundo Rosa Maria de Aguiar, diretora do hospital e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) na cidade, ela levou dois tiros, na cabeça e no abdome, e seu estado de saúde é gravíssimo. Ela afirmou ainda que Nayara foi ferida no rosto, mas está consciente.

O caso teve início na tarde de segunda. Inconformado com o fim do relacionamento com Eloá, Lindembergue, de 22 anos, invadiu o apartamento do Conjunto Habitacional de Santo André. Além da ex-namorada, estavam no imóvel Nayara, de 15 anos, e mais dois garotos. Os meninos foram libertados pouco depois da invasão. Lindembergue autorizou a saída de Nayara no fim da noite de terça, mas, na manhã de quinta-feira, ela voltou ao cativeiro. O retorno teria sido permitido pela polícia como parte da estratégia de negociações.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG