Família reconhece quadros de Portinari e Tarsila do Amaral encontrados em São Paulo

SÃO PAULO - A polícia não tem dúvidas de que os quadros encontrados na noite de terça-feira são os mesmos que foram roubados no domingo, da casa de Ilde Maksoud, de 80 anos, ex-mulher do empresário Henry Maksoud, dono do hotel Maksoud Plaza. As obras passaram por perícia na manhã desta quarta-feira e o resultado ainda não foi divulgado, mas um integrante da família Maksoud fez o reconhecimento, segundo o delegado Dejar Gomes Neto.

Redação |

Os quadros Figura em azul', de Tarsila do Amaral, 'O Cangaceiro' e 'Retrato de Maria', de Cândido Portinari, e 'Crucificação de Jesus', do pintor Orlando Teruz, foram abandonados próximo à sede da "TV Record", na região da Barra Funda, zona oeste da capital paulista. Agentes do Grupo de Operações Especiais (GOE) foram acionados e encaminharam as pinturas para a 1ª Delegacia Seccional.

AE
AE

Quadros e jóias roubados foram apresentados pela polícia

O delegado Gomes Neto disse que as obras não foram danificadas e estavam preservadas em um papel de embrulho. No mesmo local, foi deixada uma sacola com as jóias que haviam sido roubadas com as obras. O delegado afirmou, ainda, que a hipótese mais provável é de que os suspeitos se sentiram pressionados e resolveram abandonar os quadros.

O roubo aconteceu no último domingo quando um grupo de ladrões conseguiu entrar na casa após enganar o vigia.

Segundo a versão do vigia, que trabalha na casa há um ano e meio, por volta de 9h20 de domingo, um homem - em uma Fiorino branca - parou em frente ao portão e mostrou um arranjo de flores, dizendo que queria entregá-lo à proprietária da casa. Com isso, ele rendeu o vigilante e abriu o portão para que os demais assaltantes entrassem.

Os ladrões renderam mais quatro funcionários e a dona da casa, uma senhora de 80 anos, em um quarto. Eles ficaram por cerca de uma hora presos. O vigia disse à polícia que três dos assaltantes usavam roupas com escritas da Polícia Federal.

Os bandidos reviraram toda a casa e levaram também um relógio Cartier, jóias e um celular, além de quantia em dinheiro. Eles ainda chegaram a quebrar a base de uma escultura do artista Victor Brecheret (1894-1955), mas não conseguiram levá-la.

Polícia recupera quadros roubados em São Paulo:

Retrato-falado

A Polícia Civil de São Paulo divulgou na terça-feira o retrato-falado de três suspeitos de terem roubado os quadros da casa de Ilde Maksoud.

De acordo com informações divulgadas junto com o retrato-falado, o primeiro suspeito tem idade aparente de 45 anos; 1,80m aproximadamente; cabelo castanho escuro; olhos castanhos; compleição física mediana e cor branca.

O segundo suspeito tem idade aparente de 23 anos; altura aproximada de 1,75m; cabelo castanho tingido; olhos castanhos claro; compleição física mediana e cor branca.

O terceiro suspeito tem idade aparente de 27 anos; altura aproximada de 1,75m; cabelo castanho escuro; olhos castanhos; compleição física mediana e cor parda.

Divulgação
Retrato falado dos três suspeitos do roubo de quadros

Quem tiver informações pode ligar nos telefones 181 ou (11) 3331-2200 e, segundo o delegado, terá sua identidade mantida em segredo.

Leia mais sobre: roubos de telas

    Leia tudo sobre: roubo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG