Os suspeitos Marcio Marcelino dos Santos e André de Almeida Correia libertaram a família que estava sendo mantida refém por cerca de sete horas em Piracicaba, a 162 quilômetros de São Paulo, após negociações feitas pelo Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) da Polícia Militar (PM) e pela Polícia Civil. Os dois foram presos por roubo com agravantes por restrição de liberdade, tentativa de subtração de valores, emprego de arma e ação conjunta de agentes.

Ninguém saiu ferido.
Os suspeitos invadiram a casa do gerente comercial Rodrigo Munhoz Iglesias e Karina Aparecida Vitor Iglesias por volta das 7 horas, quando o proprietário saía para o trabalho. A PM informou que o objetivo dos dois era assaltar a residência. Ao perceber a movimentação, um dos vizinhos chamou a PM, que cercou o local.

Marcio Marcelino, de 23 anos, e André Correia, de 29, mantiveram o casal e um bebê de oito meses reféns na sala da casa. Ao menos 80 homens entre policiais e outros tipos de assistência trabalharam na operação. "Foi uma negociação delicada", afirmou o titular do 6º Distrito Policial, Emerson Marinaldo Gardenal. "Eles pediram um carro ou moto para fugir e não serem presos. Nós demos apenas a garantia de que eles teriam sua integridade física preservada, mas não aceitamos nenhuma exigência." Os suspeitos estão presos no Centro de Detenção Provisória de Piracicaba.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.