A família da dançarina brasileira Luciene Maria da Silva, de 24 anos, encontrada morta há uma semana na Espanha, contestou o laudo feito pela polícia espanhola, que aponta a causa da morte asfixia provocada por enforcamento, com suspeita de suicídio. O corpo de Luciene foi enterrado hoje no Cemitério de São José, no bairro de Trapiche da Barra, em Maceió.

Segundo a mãe dela, Maria José da Silva, a filha mantinha contato com a família e nunca mostrou ter depressão ou a intenção de se matar.

"Muito pelo contrário, minha filha era uma jovem linda, cheia de vida, muito querida por todos e com planos pela frente, muitos sonhos para realizar", afirmou. Luciene foi encontrada morta dentro do quarto em que dormia, com um cordão atravessado no pescoço. Maria José disse que pediu ajuda à secção de Alagoas da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para que ajude a esclarecer a morte da filha. Os familiares da jovem também querem que a Polícia Federal (PF) investigue o caso. A Superintendência da PF no Estado informou que pode investigar o crime, mas precisa de uma requisição do Ministério das Relações Exteriores, uma vez que a morte ocorreu no exterior.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.