A família brasileira do menino S. G.

, de 9 anos, disse que está buscando um entendimento com o pai da criança, o modelo David Goldman. O norte-americano foi convidado para passar o Natal na casa da avó materna, Silvana Bianchi. Apesar do discurso conciliador, o advogado Sérgio Tostes disse que, "se for necessário", tentará provar que Goldman "não é apto para criar o filho".

Goldman, numa entrevista emocionada em frente ao hotel em que está hospedado, disse que tem esperança de passar o Natal com o menino, em casa. Sem entrar em detalhes sobre a estratégia que seus advogados vão usar, ele afirmou que acredita que a liminar obtida pela família brasileira no Supremo Tribunal Federal (STF) seja suspensa. "Espero que possamos seguir com nossas vidas, como pai e filho, e voltar para casa, para nossa família, aproveitar o Natal, as férias, brincar no jardim, e fazer coisas que costumávamos fazer como, ir ao cinema e comer pipoca".

Christopher Smith, congressista do Estado de Nova Jersey, que vem acompanhando o caso de S.G., disse que os advogados de Goldman apelaram ontem para o presidente do Superior Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, para tentar derrubar a liminar concedida à família brasileira pelo ministro Marco Aurélio Mello. Procurado pelo jornal O Estado de S.Paulo para confirmar a informação, Ricardo Zamariolla não atendeu as chamadas telefônicas.

Já Sergio Tostes disse que ainda não recorreu da decisão do Tribunal Regional Federal, que determinou a volta da criança aos Estados Unidos, porque vai esperar o julgamento do mérito da liminar concedida pelo STF. "Lutamos de todas as maneiras num cabo de guerra. Agora estamos depositando as armas. Queremos discutir (esse encontro no Natal) para que a convivência entre eles seja como deve ser a relação de pai e filho".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.